MEMBRO SUPERIOR

Ombro
Lesões do tipo degenerativo, como lesões por uso excessivo, estão aumentando na região do ombro. Ser capaz de identificar com um alto nível de precisão o tipo de lesão e oferecer as mais recentes técnicas de tratamento, nos permite obter um alto grau de satisfação de nossos pacientes. Hoje em dia, muitas dessas patologias podem ser resolvidas com técnicas artroscópicas e minimamente invasivas.
a. Patologia do manguito rotador e síndrome subacromial.
b. Tendinopatias calcificas do ombro.
c. Luxação recorrente do ombro – instabilidade glenohumeral.
d. Artropatia glenohumeral.
e. Patologia esportiva subacromial.
f. Fraturas – pseudoartrose da clavícula.
g. Fraturas da extremidade proximal do úmero.
Cotovelo
O cotovelo é uma articulação da península. Ele junta duas articulações muito importantes (o ombro e o pulso) que, por volume de patologia, relegam esta área injustamente a um segundo plano. Nesta região, lesões causadas por sobrecarga e patologia traumática desempenham um papel fundamental.
a. Epicondilite – Epitrocleite.
b. Distal Extremity Humerus Fractures.
c. Patologia inseretiva do bíceps braquial.
d. Instabilidade do cotovelo.
e. Bursite do cotovelo.
f. Síndromes de compressão nervosa ao redor do cotovelo.
Pulso – Mão
Provavelmente, juntamente com o pé do tornozelo, eles conformam as regiões anatômicas mais ricas em diversidade de patologia e complexidade nos diagnósticos e procedimentos.
a. Neuropatias de compressão no pulso – mão. Síndrome do túnel do carpo.
b. Fracturas do pulso – mão. Pseudoartrose do escafólio do carpo.
c. Rizartose.
d. Tendinopatia de De Quervain.
e. Doença de Dupuytren.
f. Tenosynovitis estenosante. Finger in Spring.
g. Ganglions – Artrose do pulso.

MEMBRO INFERIOR

Hip
A patologia das duas maiores articulações da economia do sistema locomotor (Hip e Knee) são os ótimos cavalos de trabalho da Cirurgia Ortopédica, contra patologia degenerativa. O desenvolvimento de técnicas de conservação articular; e a inovação nos novos implantes, porque essa região anatômica se tornou nos últimos anos em uma verdadeira revolução.
a. Artroscopia do quadril.
b. Infiltração de eco e radiografia.
c. Choque femoroacetabular.
d. Tratamento da patologia e seqüelas da infância: doença de Perthes, epífisiólise femoral proximal, …
e. Artroplastia de revestimento – resurfacing do quadril.
f. Substituição protética do quadril.
g. Perforações com células-tronco para estágios incipientes na necrose avascular da cabeça femoral.
h. Quadril na Primavera Interna e Externa.
Joelho
Por muitas décadas a articulação por excelência do traumatologista. A lesão no joelho ainda é nossa primeira causa de consulta, tanto para patologia degenerativa quanto para patologia esportiva.
a. Lesões meniscais.
b. Lesões do joelho ligamentares. Lesões do ligamento cruzado anterior.
c. Lesões do aparelho de joelho extensor. Tendinopatia da patela. Tendinopatia quadricipital
d. Lesões de cartilagem ou condropathy femorotibial.
e. Dislocações – instabilidade femoropatelar.
f. Osteotomias do joelho para o tratamento da artose unicompartimental.
g. Artroplastia no joelho.
h. Fraturas e pseudoartrose do fêmur e da tíbia.
i. Endosopatias de joelho insercionais. Síndrome da banda iliotibial.
Tornozelo-pé
A área do conhecimento, dentro da especialidade que sofreu uma mudança radical. A identificação dos diferentes problemas levou à melhoria radical dos resultados nos tratamentos aplicados.
a. Lesões osteocondrais do talo. Artroscopia do tornozelo. Mosaicoplastia.
b. Lesões do tendão de Aquiles. Doença de Haglund.
c. Patologia do pé cavus.
d. Patologia do pé plano.
e. Entensopatías e tendinopatias devido a sobrecarga, em atletas.
f. Hallux limitus – Rigidus.
g. Hallux valgus.
h. Metatarsalgia de raios menores.
eu. Tratamento do pé diabético.
j. Fraturas no tornozelo-pé.
k. Pseudoartrose e consolidações em má posição.
l. Fraturas de estresse no tornozelo-pé.
m. Instabilidade ao tornozelo.
n. Artrosis no tornozelo.
ou Fascite plantar.
p. Neuroma interdigital – neuroma de Morton.
Português